Testemunho: afinal trabalhar no IKEA não é assim tão bom

Chegou-nos este testemunho sobre as condições de trabalho no IKEA Portugal que aqui partilhamos:

ikea«Muitos tentaram fazer ouvir as suas vozes.

Como ex. colaborador do Ikea, e pelas situações incorretas que se passam sinto-me na obrigação de vos alertar.
A Retal Manager de Portugal Christiane Thomas sabe o que se passa de mal nas Lojas da Ikea de Portugal mas prefere omitir as situações.
Muitos tentaram fazer ouvir as suas vozes e falaram com a Christiane Thomas, falaram com os Diretores, falaram com os Managers, mas eles omitem e distorcem tudo a seu favor.
Diretor do Ikea de Alfragide David Teixeira tem tudo menos de diretor e de líder.
Apenas veio criar um ambiente ainda pior e fazer com que as vagas fossem preenchidas por familiares seus e por amigos dele e amigos dos Managers.
O mesmo de passa com a Diretora da Loja de Loures.
Dou-vos apenas alguns exemplos do que é feito por estes péssimos chefes:
As vagas algumas não abrem, quem eles escolhem passam diretamente para um cargo superior.
Muitos veem de fora desvalorizando os colaboradores que têm capacidades dentro da empresa e não sendo dada as mesmas oportunidades, pois quando as vagas abrem as pessoas para esse lugar já estão escolhidas.
Outro exemplo de influências é feito pelo Diretor da Expansão do Ikea Portugal, não só nas vagas onde tem quase toda a sua família mas também na subida de outros cargos.
Quando abrem a vaga, fazem por obrigação mas já escolheram a pessoa, não feito de uma forma transparente e honesta.
Os salários são outra das questões, onde pessoas com a mesma categoria têm valores salariais diferentes, decisões que passam pelo que os chefes decidem em acordo com a pessoa, não existindo transparência e igualdade.
Os horários, várias pessoas se queixavam das constantes alterações. Chegavam a pedir no próprio dia para fazer mais horas, ou começar a fazer adicionais.
Alguns passaram para uma carga horária superior, sem um critério definido, foram os chefes que disseram que era aquelas pessoas, e as outras quando lhes dava jeito faziam adicionais constantes. O código do trabalho não era cumprido.
Os chefes não davam exemplos e trocavam folgas, ficam horas e horas na empresa, não acompanham os colaboradores, etc.
Managers e Chefes de Departamento têm comportamentos inaceitáveis no entanto continuam a laboral na empresa e a lhes serem pagos bons salários.
Não são líderes, são impositores onde fazem o que querem.
Várias situações incorretas se passam nas lojas do Ikea de Portugal.
Em Alfragide quando lá estive existia um descontentamento generalizado pelo manager de Ikea Food, Logística e de Customer Relations.
Os chefes/as de Departamento não são lideres apenas criam grupos de amizades, relacionamentos e defendem quem querem, criticando os outros. E se as pessoas tentarem falar sobre as situações não são bem-vindas.
As subidas na área de Comin também são pouco transparentes.
O problema está nesta péssima gestão, mas se forem falar com os diretores, managers, chefes e sub-chefes eles vão sempre negar todas as situações.
A direção, Management, Chefes e sub-chefes falharam e não defendem o código de conduta nem a imagem da empresa.
Muitas das relações de trabalho não são desenvolvidas e os colaboradores que falam sobre as situações sofrem uma certa coerção e intimidação, são vários os exemplos, mas tudo é abafado.
Muitos trabalhadores em Portugal tentaram um Sindicato, mas a Direção da Empresa e responsáveis de Recursos Humanos, dizem que sim, mas depois oprimem as pessoas e nada é permitido. Os direitos dos colaboradores não são respeitados.»

Facebooktwittergoogle_plusredditlinkedintumblrmailby feather