Greve nacional dos médicos pela defesa do SNS iniciou hoje com adesão superior a 80%

Iniciou hoje, pelas zero horas, uma greve nacional de médicos que se prevê durar 2 dias. A greve está a ser um sucesso em termos de participação, com a adesão a ultrapassar os 80% e com valores próximos de 100% em muitos hospitais.

Os médicos em greve exigem maior valorização da profissão médica e o respeito pelos utentes, nomeadamente através do cumprimento dos descansos compensatórios e estruturas dos horários de trabalho; da limitação ao máximo de 12h de trabalho em serviços de urgência; da redução do número de utentes por médico de família; da anulação dos cortes das horas suplementares, entre outras exigências (ver aqui).

Esta foi a primeira greve de médicos que o atual Governo enfrenta. Os hospitais e centros de saúde passam dificuldades várias, muitas delas decorrentes da falta de investimento público, desde a manutenção e aquisição de recursos materiais à gestão de recursos humanos. Sabemos que a precariedade afeta um número crescente de médicos, mas também, de forma mais intensa, muitos outros profissionais da saúde, dos auxiliares de ação médica aos enfermeiros.

A Associação de Combate à Precariedade, Precários Inflexíveis, está solidária com a greve dos médicos em curso, assim como com todos os profissionais e utentes que lutam por um Serviço Nacional de Saúde público e de qualidade.

greve médicos

Facebooktwittergoogle_plusredditlinkedintumblrmailby feather