«Pago os salários mais baixos que puder» – Perfil do novo dono da PT

“Eu não gosto de pagar salários. Pago o mínimo que puder.” – é esta a frase de apresentação e que pode ficar na cabeça dos milhares de trabalhadores da PT. É proferida por Patrick Drahi, presidente da Altice, que comprou a PT depois de Bava e Granadeiro terem perdido quase mil milhões de euros da empresa de comunicações com a bancarrota do BES. Sobre os trabalhadores da PT, em particular os em falso outsourcing, continua a ameaça de despedimentos em massa, já que Drahi enviou em Junho passado uma carta aos “fornecedores” a propor um corte de 30%.

Patrick-Drahi

Tal como denunciámos em Novembro passado, há uma ameaça sobre os 16 mil trabalhadores em outsourcing na PT, fruto da compra da empresa da Altice. O novo patrão da empresa, o francês Patrick Drahi, tornou pública a sua visão sobre os trabalhadores este fim de semana após a aquisição de mais uma empresa, a americana Cable Vision: pretende pagar o mínimo de possível em salários, e cortar nos mesmos sempre que possa.

A estratégia financeira do multimilionário franco-israelita é a aquisição de empresas a baixo custo e contracção de empréstimos contra o valor das próprias empresas: aconteceu com a Suddenlink e está previsto com a Cablevision. Nada faz crer que não seja exactamente a mesma estratégia seleccionada para a PT.

Drahi tem uma fortuna pessoal avaliada em 14,9 mil milhões de dólares, o 57º homem mais rico do mundo, 3º mais rico de França. A sua proposta de enriquecimento é dívida e salários miseráveis. É este o dono da PT Portugal.

Até o mais que liberal ministro da economia francês, Emmanuel Macron, assume os perigos: “o império de telecomunicações do Sr. Drahi está a crescer demasiado rápido e com demasiada dívida. Tenho grandes preocupações em termos de alavancagem de dívida do Sr. Drahi, devido ao seu tamanho e devido ao lugar que ocupa na nossa economia”.

Facebooktwittergoogle_plusredditlinkedintumblrmailby feather

41 Replies to “«Pago os salários mais baixos que puder» – Perfil do novo dono da PT”

  1. E que tal só lher ser permitido receber o Salário Minimo Nacional? Pelo que ele diz… até se possível um bocadinhos menos. Que ele merecia… merecia!!!

      1. Bastava um tiro mas mesmo no meio dos cornos. A escravatura não acabou já? Será esta a democracia que queremos????? Mesmo sendo uma empresa privada que Lei permite fazer isto????

  2. Boa tarde. Tenho um carro para vender. Como sou precário, é muito velhinho e pretendo trocar por outro um pouco menos velhinho porque já passa muito tempo na oficina, o que me sai caro.
    O carro está à venda por 600 euros porque é o preço que mais ou menos dão por ele. Quer dizer, é o preço de mercado. Do vil e impiedoso mercado. No entanto, certo da vossa consciência cívica, ao contrário do senhor do artigo, sei que estão sempre dispostos a pagar aquilo que as pessoas entendem ser como justo, como um seu direito. Assim, não vão concerteza levar a mal que vos proponha comprarem-me o carro por 2600 euros, valor a que eu acho que tenho direito, tal como os trabalhadores da PT acharão que o senhor do artigo lhes deve pagar o máximo possível.
    Com os melhores cumprimentos, aguardo confirmação da vossa oferta para o mail indicado.

    1. É isso mesmo Eduardo !!. Estes modernos Senhores de Escravos, um dia pode até demorar 1 Século, vão sentir na pela a revolta dos novos escravos, subjugados de forma impiedosa por senhores, como este !!. Um dia as pessoas vão-se se passar da marmita, e ninguém as vai parar subjugadas que estão a tamanha ganância e cupidez destes avaros Capitalistas e olhe que eu não sou Comunista……

    2. Jejum Intermitente e restrição calórica. Óptimo para a saúde em geral e para o discernimento e clareza mental, em particular.
      Ao contrário daquilo que possa pensar, o conselho é gratuito.

    3. Pois eu sou funcionária pública, tenho uma empregada diariamente para tratar de pessoas doentes que tenho em casa. Foi a minha empregada de sempre. Quando precisei de empregada mais horas, convidei-a. Nem comparei preços. Reconheço o seu difícil trabalho e a qualidade com que o faz. Tive de prescindir de algumas rotinas para lhe pagar. Pago o que acho justo, ela retribui-me com dedicação e deito a cabeça na almofada com a consciência tranquila.
      Não, não é inevitável sermos todos amorais perante as leis do mercado. E quando os empregados explorados, os desempregados, os excluídos perceberem que as coisas não são inevitáveis, talvez estes gestores percebam que não é seguro viverem estas vidas nem enriquecerem à conta deste tipo de gestão.

      1. Gostei imenso da sua resposta Teresa Gomes.
        Infelizmente esse tipo de humanismo não se revela em muita gente de “topo”.
        Bem haja

    4. Ora meu amigo, vamos lá ser francos e justos… Se quer vender seu carro velho porque está mesmo já “muito velhinho e … porque já passa muito tempo na oficina…” o que confessa lhe sair caro, não pode esperar mais que €600,00 mesmo na venda do dito…

      Não é o mercado que é vil e impiedoso… impiedosa é a velhice e falência dos materiais, que faz com que seu muito velho carro viva quebrando e lhe saindo muito caro em consertos…

      Pense mais é em mandá-lo para abate. Ainda pode tirar uns trocos, e aí sim, será justo pois não estará passando adiante um veículo que no estado em que dá a entender que está… não vale o combustível que gasta… e não passará a próxima inspeção sem uma renovação completa… essa sim talvez venha a custar ao comprador os €2.600,00 que acha justos..

      A comparação que faz dos funcionários da PT com seu carro velho pelo qual só lhe dão 600,00 não faz justiça a eles, os trabalhadores… Eles sim estão sendo valorados a menor. Com certeza valem muito mais que o patrão francês está decidido a lhes pagar.

      E eles tem uma outra diferença em relação ao seu carro: podem reclamar… podem denunciar… podem se revoltar e dizer que não aceitam… e podem quebrar o patrão se resolverem fazer isso juntos e em massa… é que as máquinas em geral realmente ocupam menos trabalhadores, mas ainda não trabalham sozinhas…

      A força que os trabalhadores estão perdendo é a da união… aquela. famosa… Por conta da crise arrasadora que faz de qualquer desempregado um “fura.greves”, ou “papa-empregos”, prontos para saltar por menos dinheiro nas vagas dos “prestadores de serviços” que são diariamente dispensados.

      1. “Eles sim estão sendo valorados a menor. Com certeza valem muito mais que o patrão francês está decidido a lhes pagar.”

        Para a sua afirmação ser verdade, é porque há outras empresas dispostas a acolhê-los e pagar-lhes o que merecem. E nesse caso quem tem que estar preocupado é o dono da Altice que vai ser impiedosamente abandonado por quem quer ganhar mais.

    5. Este “distinto cavalheiro” para burro so lhe falram as penas.Se tem o carro a cair de velhinho é por ser velho mesmo ou por incúria sua? Quanto atingir a idade de poder contribuir para a empresa será que defende que deve ser “abatido” pq ja não anda cá a fazer nada?
      Este labrego da PT pensa q a empresa funciona sem as pessoas que la trabalham? Hitler tb colocou os prisioneiros a trabalharem sem pagar e acabou como acabou.
      Devia ter vergonha pela falta de respeito para quem vive da força do trabalho.

    6. Não diria melhor Eduardo, enquanto os Portugueses só pensarem em grandes ordenados com pouco trabalho ou empenho este País continuará o mesmo de 40 anos atrás …. mentalidades pequenas é o que é ….

    7. Eduardo,…. Tanta conversa para dares a conhecer a “tua” analogia de medra!,…..
      Gente burra, nunca chega a inteligente e é bem verdade, quando não há capacidade, não se pode inventar,…. Eu também tenho “empregados” “profissionais” e nunca, mas nunca seria possível pagar-lhes o salário mínimo, felizmente, não pertenço a classe de parasitas que se alimentam desta sociedade,….

  3. Esse senhor concerteza já nasceu rodeado de ouro
    Só uma pessoa com mente pequena é que pensa assim
    Gostava de dizer a esse senhor se todos os funcionarios dele o mandassem apanhar no ó ele teria que fechar as empresas e deixaria de ser o xulo que é.
    Experimente viver com o salário baixo durante algum tempo e assim verá o que passam os seu empregados
    Esta é. A receita para que haja cada vez mais pobres por causa desta cambada de sanguessugas

  4. Deves trabalhar na Sov segurança.eu por causa do salário de merda tenho,que vender esteróides além de fazer part-time,e gamar material dos hotéis onde trabalho.

  5. Será que este sr ainda não pensou que no dia em que morrer os seus milhões vão ficar cá e que o tempo que dedica a aumentar a sua fortuna é um verdadeiro desperdício. Há coisas que o dinheiro não compra e a felicidade não é egocêntrica passa sempre pelos outros.

  6. Se um dia chegasse a casa, um filho pedisse pão e eu não tivesse para lho dar, e tu fossesmeu patrão, levavas um tiro nos cornos.

  7. …..Foi escrito no século 19:

    “Faça produtos com a melhor qualidade possível sob o menor custo possível, pagando os maiores salários que puder.”

    Henry Ford

    Nada mais a acrescentar.

  8. Este Sr nunca devia ter entrado em Portugal. Culpa teve quem o deixou cá entrar.Afinal investimento não veio fazer nenhum.Pelo contrário só vêm semear terror e miséria. Agora cabe ao poder político recambia lo que gente desta não faz falta nenhuma em lado nenhum.Eles que vão embora e nós seremos mais felizes

  9. apologia da escravatura, portanto. Não se esperava outra coisa. E que o passos e a cristas estejam escandalizados com o António Costa por se ter atrevido a “admoestar” publicamente a Altice é revelador de que sempre desprezaram os trabalhadores portugueses e sempre se curvaram perante os interesses das grandes corporações financeiras. Todos coerentes. O que me espanta é que ainda se deixe esta gentalha moral e mentalmente doente mandar no mundo

  10. O Senhor Eduardo, que na minha opinião nem merece que o trate como tal, acha que pode brincar com situações sérias como aquela que a Altice está a provocar no nosso País. Aliás, pelo que sei, a receita pós.compra de qualquer dos seus investimentos nunca tem por fim «acrescentar valor» às adquiridas e sim o seu desmembramento à posteriori!
    Certamente que os trabalhadores de qualquer das empresas adquiridas e aniquiladas ao longo do tempo não estão nem nunca estiveram em condições de estabelecer, eles próprios, o valor dos seus vencimentos, até porque, deixando de existir a figura do antigo contracto colectivo de trabalho e passando todos eles a ser individuais, foram os próprios empregadores a avaliar o valor do seu contributo para o crescimento das empresas.
    Poderia simplesmente dizer que o dito senhor é PARVO, mas o que interessa é falar de economia e, pelos vistos, com empreendedores como este e a maioria dos nacionais, este País nunca irá a lado nenhum…pelo menos no sentido da evolução.
    Vê-se que nunca terá lido nada nem teve qualquer formação sobre gestão e economia pois a primeira coisa que qualquer aluno do primeiro ano aprende é que “empresas com trabalhadores desmotivados nunca podem produzir em prol das mesmas o que lhes dá valor acrescentado face à concorrência.
    É triste constatar tanta ignorância e pesporrência…

  11. Claro que sim! Eu também pago o menos que posso ao pedreiro, ao empreiteiro, ao jardineiro, à empregada, etc. Eles por sua vez tentam que eu pague o mais que conseguirem, de acordo com o mercado. Assim se aparecer quem me corte a relva por menos, de acordo com a relação preço qualidade, é a essa pessoa que eu dou o serviço. Se toda a gente me cobrar muito caro ou opto por um deles, ou por nenhum. Se for demasiado caro muita gente não comprará o serviço pelo que quem o disponibiliza terá de baixar o valor. Poderemos tentar alterar esta situação no dia em que optarmos por pagar mais, em vez de pagar menos, por opção. Ou seja dar o serviço ao jardineiro que cobra mais, em vez do que cobra menos, pelo mesmo serviço. Mas como é evidente não fazemos isso, apesar de acharmos que moralmente ou outros o deveriam fazer. O mercado é assim, e funciona assim. Este sr limita-se a dizer a verdade, quer gostemos dela, ou não

    1. Silvana Baralha o seu raciocino está incorrecto. Basta olhar para os lucro das empresas de comunicações. Esses lucros elevados não são reflexo de quem tem que baixar nos salários para ser competitivo. Neste caso é mesmo reflexo da sua cultura judaica.

  12. E se nós deixamos de pagar as tarifas, ou pagássemos um valor irrisório a estes senhores, que não mostram nenhum respeito pelos seus funcionários e suas famílias, os culpados disto tudo é da pouca sorte de portuguêses de que governam e governaram este país. Acho que estão ou estavam ao serviço de outros interesses ou de outros países.

  13. Enfim,.. escusava de gastar palavras para dizer tanta parvoíce, com essa sua mentalidade de negreiro de a 500 anos,… contudo e ainda bem, o valor do
    mercado de trabalho não funciona assim, alem de regulado,.. para alem da procura e da oferta, há sempre gente inteligente e com bom senso que equilibra esta sociedade, infelizmente cada vez mais podre, até ao dia que estes parasitas que não querem pagar vencimentos, acabam por pagar com a vida a revolta dos explorados,…. estes ciclos sucedem-se e só assim se abre novos horizontes nas mentes vazias que julgam que pagar pouco é alguma estratégia, ou factor de inteligência,….

  14. Tem mesmo focinho de mafioso criminoso…fruto talvez, em parte, pela metade da sua ascendência, que como muitos de nós sabemos, e a fama é partilhada em quase todo o lado, são os capitalistas mais fuínhas e egoístas que existem no mundo, com todos os lobbies e influências malignas que espalham por todo o mundo, e portanto e infelizmente, já se sabia o que é que gente desta laia viria trazer para Portugal!!!
    Mas pior mesmo, foram os traidores tugas, que permitiram que isto viesse a acontecer, e este tem sido o mal deste país há longos e longos anos, os muitos traidores da pátria, que ainda por cá vegetam e prejudicam este país e seu povo, e enquanto não libertármos deste mal, só continuaremos a ter malefícios, devido às acções que esses traidores da pátria continuam a espalhar no nosso território!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *