Precários do Estado passam aos quadros em 2018: ninguém pode ficar para trás

cm-precarios-estadoO anúncio está feito: por acordo do governo com o Bloco de Esquerda e com o PCP os precários do Estado vão ser integrados nos quadros da função pública. Estimam-se que serão 110 mil pessoas a trabalhar com vínculos precários em funções permanentes, mas o relatório do governo elencando quem são e onde estão só vai ser entregue no primeiro trimestre de 2017.

De acordo com o Correio da Manhã desta segunda-feira, os primeiros precários a serem integrados nos quadros do Estado deverão entrar em meados de 2018. Para esse processo deve ser usado um programa de regularização extraordinária dos vínculos precários, mas ainda há dúvidas se o processo é por concurso (como fez Guterres em 1997 e que poderia expulsar muita gente do lugar que ocupa há décadas) ou por decisão de tribunal arbitral (como fez António Costa na Câmara Municipal de Lisboa).

Houve também declarações de que os falsos recibos verdes do Estado também poderão ser integrados no processo. Para além disso, o Público de hoje dava conta da precariedade que está associada aos docentes universitários, que já são um terço do total.

Os precários da função pública estão a mexer-se e a FENPROF já disse que são mais de 30mil professores (ver aqui) e foi lançada uma petição dos precários no Ensino Superior e Ciência (ver aqui).

Neste momento é preciso que todos se mobilizem para que se perceba onde estão os precários do Estado, porque #NinguémPodeFicarParaTrás. cm-precarios-estado-2 publico-prof-univ-precarios

Facebooktwittergoogle_plusredditlinkedintumblrmailby feather