SITE EM REESTRUTURAÇÃO

precariosinflexiveis Novembro 21, 2007
A imagem

Sou Fisioterapeuta Licenciado, acabei o curso em 2005 e com bastante custo, visto que os meus pais não sao ricos, e tiveram de fazer enormes sacrificios para que eu acabasse o curso.Noites, fins de semana, feriados. Já trabalhei em vários lados, todos em que trabalharia com os recursos da empresa, obedecia a regras dos superiores e tinha horário a cumprir e qual era o contrato que me davam? lá está, recibos verdes. Qual não foi o descalabro quando, depois de estar 2 anos a recibos e de estar a efectuar um bom trabalho, fui pedir 1 contrato ao director da clinica de fisioterapia e ele disse que “isto ta mau e tal, 2 anos ainda é pouco tempo” e eu confrontei-o, que, com estas condições devia estar a contrato. ele disse que não podia dar contrato a ninguém e não se explicou e eu apresentei a minha demissão. Vim a saber depois pelas minhas colegas que quem entrou para o meu lugar ainda foi ganhar bastante menos do que eu ganhava. Não tenho direito a qualquer tipo de subsidio, não tenho direito a nada, pago sempre a mesma fatia de segurança social!!! Eu gostava de casar, de comprar ou alugar uma casa,nem pedia muito, bastava uma de 2 assoalhadas, mas tanto eu e a minha namorada somos licenciados e estamos os 2 a recibos verdes. Perdoem-me a sinceridade, mas se fossemos empregados de limpeza tinhamos os 2 contratos, mas pronto……!! Portanto, não sei o que fazer, vou bater à porta de clinicas, lares, associações, é tudo a recibo verde!!!! Terei de mudar de profissão? e mesmo mudando será assim tão fácil ter um contrato? já se me fecharam muitas portas, entre as quais, a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, que me rejeitou por ter a Licenciatura e eu estar a concorrer a um lugar com o 12º ano. revolta muito, muito. Eu já recolhi mais de 20 assinaturas e vou continuar a recolher mais, porque não vou desistir. Quero acabar com esta merda da precariedade que não deixa ninguém ter filhos, ter uma casa. O governo ainda se queixa que há poucos nascimentos. Pensem lá 1pouco, não é dificil perceber porquê. Se supostamente são os jovens que têm mais filhos e se cerca de 1 milhão está a recibos e muitos estão precariados, como têm eles condições para ter filhos??

(testemunho enviado ao P-I)

Facebooktwittergoogle_plusredditlinkedintumblrmailby feather

1 thought on “Testemunho de um fisioterapeuta licenciado

  1. Estou na mesma situação que vocês, sou licenciada desde 2006, fiz licenciatura posteriormente, pois precisava trabalhar para a pagar! Trabalhei em várias áreas principalmente hotelaria, cuidei idosos, trabalhei como auxiliar em lar, só consegui estágios profissionais como fisioterapeuta, apenas 1 contrato numa instituição q terminou após governo determinar que só poderiam ser feitos tratamentos em hospitais públicos, termino dos P1, tive q emigrar quase 2 anos! Depois de bater a todas as portas e tentar arranjar emprego de norte a sul do país! Regressei pois consegui 1 contrato numa ULDS através do centro de emprego! CEI+ conhecem?! Os maiores tapa olhos do país! Após termino tive q sair pois não havia forma alguma de fazerem contrato! Voltei ao desemprego! Neste momento estou a recibos verdes a fazer apoio domiciliário! Com todos descontos pouco sobra! Ah sou solteira tenho 42 anos a caminho dos 43! Filhos? Quem me dera! Casa? Em sonhos talvez!
    Infelizmente é isto que temos! Estou fazer formação especializada porque sou obrigada, claro está, paga por mim!

Leave a comment.

Your email address will not be published. Required fields are marked*