Hoje 21h30 | debate: Desmontando a dívida

Em tempos de austeridade, lutamos pela democracia e juntamos as vozes por políticas alternativas, que nos respeitem e que nos devolvam o futuro, os nossos direitos básicos, serviços públicos que criámos e os nossos salários. Tal como nos debitam há anos as várias inevitabilidades deste sistema perverso, a dívida serve de suprasumo das justificações para destruir o Estado Social, a Democracia e os direitos que permitem que nas sociedades não hajam cidadãos de primeira e cidadãos de segunda. A palavra de ordem é muito moralista e afirmam-nos sempre: é preciso cumprir os nossos compromissos, pagar as nossas dívidas. Mesmo que para isso tenhamos que pagar com o fim do Estado e da coesão da sociedade. Mas há sempre perguntas a pôr: quando prescreve uma dívida? podem os países renegociar o pagamento das suas dívidas? qual a natureza da dívida pública portuguesa? e a dívida privada? estará a dívida privada a ser nacionalizada? estaremos a pagar dívida que não nos compete? em que sentido se endividou o Estado? há dívidas boas e dívidas más? estas e muitas perguntas farão parte de um debate do qual podermos sair mais armados para abater a demagogia e o falso moralismo de comentadores e troikistas.
Aparece e participa, vê evento facebook aqui.
O terceiro e último debate deste ciclo será com:
José Maria Castro Caldas – investigador do CES, onde integra o Núcleo Ciência Economia e Sociedade (NECES) e o Observatório do Risco. Anteriormente foi professor auxiliar do Departamento de Economia do ISCTE. É doutorado em Economia pelo ISCTE, membro da Comissão de Auditoria à Dívida Pública (IAC).
João Camargo – membro da Associação de Combate à Precariedade – PI, membro da Comissão de Auditoria à Dívida Pública (IAC).
Facebooktwitterredditlinkedintumblrmailby feather