Pobres (e) trabalhadores…

Hoje assinala-se o “Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza”. Mas a pobreza vive-se todos os dias, no calendário das muitas pessoa que enfrentam as dificuldades. Segundo a própria Comissão Europeia, 16% dos cidadãos da União Europeia viviam, em 2006, abaixo do limiar de pobreza, ou seja com 60% do rendimento médio do país onde (sobre)vivem. Em Portugal, os números são ainda menos animadores.

Oito por cento dos europeus com emprego vivem abaixo do limiar de pobreza“: a notícia é do Público, baseada na leitura do insuspeito documento da Comissão Europeia. Reflecte a triste e crescente realidade: a pobreza está a deixar de ser um fenómeno sobretudo associado ao desemprego ou apenas ligado à exclusão social. Trabalhar está a deixar de ser garantia para escapar à pobreza. É este o resultado da aposta dos Governos na precariedade e nos baixos salários.

Em Portugal, 11% dos trabalhadores vivem com menos de 14 €/dia, a a terceira percentagem mais elevada da UE.

Quanto tempo mais andaremos a trabalhar apenas para ir sobrevivendo?
Facebooktwitterredditlinkedintumblrmailby feather